“Estou aqui pelo que sou, não pelo que falei”; Não é bem assim, Arthur do Val!

O deputado Arthur do Val, aquele que disse que as “ucranianas são fáceis porque são pobres”, foi julgado pelo Conselho de Ética da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e teve o seu mandato cassado com uma votação de 10 votos a favor pela cassação e nenhum voto contra. O Mamãe Falei não teve absolutamente ninguém para lhe defender.

Com isso, ele teve a coragem de dizer que isso aconteceu pois ele tem “virtudes”, e que essas virtudes não são apreciadas pelos outros deputados. Veja só a astúcia:

“Vamos ser sinceros. Todo mundo sabe que esse processo de cassação não é pelo que eu disse, mas por quem disse. A verdade é que todos aqui me odeiam. Esse processo não é pelos meus defeitos, mas por minhas virtudes”

Ainda teve a coragem de dizer que ele está sendo cassado pois ele “incomoda o PT”, e que os nossos deputados petistas são “escravos do Lula”. E também absurdo é que o Arthur do Val ainda parece acreditar que o que ele disse não é tão grave ao ponto de sofrer um processo de quebra de decoro. Falar que ucranianas são fáceis pois são pobres e que ele supostamente queria fazer turismo sexual na Ucrânia não parece ser o suficiente para o próprio deputado admitir que ele não é digno do cargo que ocupa.

Criticas aos nossos deputados do PT ⭐️

Arthur do Val critica o deputado Emídio de Souza, insinuando que foi Emídio quem “aliviou” para Fernando Cury, o deputado que assediou Isa Penna, aplicando pena de 6 meses de suspensão. “Está óbvio e todo mundo sabe disso, não é pelo que eu falei, mas sim pelo que eu sou”.

Mas deputado Arthur Mamãe Falei, uma pergunta: e se você não tivesse falado?

Logo depois, Arthur diz que “sabe que se o presidente Lula mandasse o deputado Ênio Tatto defender as falas se fosse um deputado do PT, o deputado Ênio Tatto estaria defendendo pois o Lula mandou”. E ainda completou dizendo “você está me cassando não pelo o que eu falei, mas sim pois no debate de 2020 eu fiz uma pergunta muito incômoda para o seu irmão”.

Que preguiça. 🤦‍♀️

Ênio Tatto respondeu na hora: “Arthur, esquece o PT”.

É um absurdo Arthur do Val ainda acreditar que o que ele falou, os absurdos, as violências de gênero e a misoginia não serem suficientes para ser julgado como quebra de decoro, incompatível com seu cargo, e que deve ser punido exemplarmente. É um absurdo Arthur do Val achar que o problema é ele estar sofrendo uma perseguição política, e não uma punição pelos absurdos que disse.

É um absurdo Arthur do Val existir politicamente.

Você gostou?

Então compartilhe!

Facebook
Twitter
WhatsApp

Quer receber notícias e novidades de Rosângela Santos?